20/05/2010

Lidando com opiniões não solicitadas


“Obrigado(a), mas quando eu quero ou preciso de opinião, normalmente eu peço”. Conta-se nos dedos quem tem coragem de dizer a frase acima àquele que resolveu emitir seu parecer sem ter sido consultado, com a fleuma de um súdito da rainha da Inglaterra. Convenhamos, uma resposta dessas ou similar encerra a questão e, se houver, termina também com a amizade ou qualquer relacionamento.

Sentimo-nos inclinados a expressar nosso juízo sobre aquilo acontece ao redor, sobre o bate-papo que estamos participando... Até aí tudo bem. Se alguém está abrindo uma questão num grupo presume-se que saiba de antemão que está se expondo e em conseqüência, deve ter capacidade de absorver as argumentações que virão. Do contrário, é melhor nem provocar o assunto. Poucas pessoas se mostram receptivas a críticas quando em público. E se há dificuldade em administrar isso, a tendência da maioria é se esconderem sob o rótulo da timidez. Ou ainda, sob o direito que cada um tem à sua privacidade e reparti-la somente quando achar necessário.

Quem é cioso de sua intimidade não entrega o jogo tão facilmente. Como reagiríamos se estivéssemos numa loja, por exemplo, trocando idéias com algum amigo e alguém resolvesse entrar na conversa sem ser convidado? Tem os dois lados da moeda. Se o assunto é segredo, não deveríamos falar em um lugar onde outras pessoas podem ouvir. Se não é, e ainda assim alguém resolveu opinar, no mínimo tem como característica a ousadia.

Enfim, se a nossa resistência a opiniões contrárias não é lá das maiores e a nossa capacidade de resistir é pequena, é melhor não se expor. Se a palavra está presa na garganta e um bom ouvido se faz necessário, o critério de escolha é fundamental. Os melhores ouvintes são sempre os nossos amigos mais fiéis. Eles fazem o esforço de entender o problema pela nossa ótica, colocando-se no nosso lugar, mesmo tendo opinião contrária, porque nos conhecem suficientemente bem, gostam de nós incondicionalmente e a última coisa que querem é nos magoar.

2 comentários:

  1. Muito bom seu texto. Como é chato alguém dar uma opinião que não pedimos, como disse, principalmente se não é do nosso convívio. Parabéns!
    Juarez do Brasil

    ResponderExcluir
  2. Valeu, Juarez. Que bom que gostaste. Volte sempre.

    ResponderExcluir

Por favor, deixe aqui sua opinião sobre o texto.